melhorar-consumo-carro

Dicas e truques para melhorar o desempenho do carro na viagem

Viajar de carro com certeza traz muito mais liberdade para aproveitar de verdade a sua viagem. Mas existem algumas dicas e truques que podem fazer a sua viagem ser ainda melhor e mais econômica! Confira abaixo as melhores dicas:

Não encha muito o porta-malas

O peso excessivo piora o desempenho e ainda aumenta o esforço do veículo, aumentando também o consumo de combustível. Portanto, é importante levar somente o necessário para não gerar um consumo desnecessário. Fique atento!

Pneus sempre calibrados

Cada pneu de veículo tem uma calibragem diferente, portanto é muito importante ficar atento ao manual para atingir a pressão ideal, dependendo também do peso dentro do carro. Verifique sempre se os pneus estão calibrados corretamente para não haver um esforço ainda maior do veículo.

A quantidade de combustível ideal

Encher o tanque demais também pesa o veículo. Entretanto, deixar o tanque de combustível muito vazio, pode danificá-lo. Esteja sempre renovando o combustível do tanque, colocando em quantidades medianas.

Cuidado com o pé no acelerador

Quanto maior a velocidade, mais o motor precisa se esforçar para criar o movimento contra o vento. A direção em alta velocidade chega a diminuir a eficiência em até 33%! Portanto, é importante manter sempre uma velocidade constante, abaixo dos 100 km/h.

Sempre evite frear bruscamente

A frenagem brusca gera um gasto muito maior do que se você frear suavemente. Fique sempre atento para não ser necessário frear bruscamente!

Faça as revisões necessárias

Muitos dos itens que compõem o sistema do veículo precisam de manutenção, limpeza ou até mesmo a troca. Não fazer revisão do carro, pode fazer com que você rode com um veículo cheio de peças com desempenho ruim, fazendo com que o carro gaste mais para fazer suas atividades comuns. Portanto, sempre respeite o tempo de revisão de todo o veículo.

Cuidado com o combustível

Andar com combustível batizado pode causar danos irreversíveis no veículo! Sempre procure postos credenciados, com produtos de qualidade e, quando possível, utilize a gasolina aditivada, que melhor ainda mais o desempenho do carro.

Gostou das dicas? Com essas informações você já pode fazer uma viagem tranquila e muito mais econômica! Que tal colocar em prática na sua próxima viagem?

E se você está sem carro, alugue um veiculo com a Rede Brasil! Carros sempre novos e revisados, pronto para qualquer situação.

Aluguel de carros Brasil

 

 

 

dirigir-com-seguranca

5 dicas para dirigir carro automático com segurança

O carro automático ainda é visto com desconfiança por muitos brasileiros, embora nos últimos anos tenha se tornado cada vez mais popular. Segundo uma reportagem do Carplace, a busca pelo câmbio automático vem crescendo, em média, 30% a cada ano no Brasil.

Como a maioria dos modelos ainda é equipada com câmbio manual, muitas pessoas não sabem como dirigir carros com câmbio automático. Assim, dedicamos o nosso post de hoje a essas pessoas, e mostraremos dicas para dirigir um carro automático com mais segurança. Acompanhe!

Entenda as posições do câmbio

Por conveniência, os carros no mundo todo utilizam a mesma codificação para definir as posições do câmbio. Todos os códigos vêm da língua inglesa, conforme mostraremos abaixo:

  • D (drive, dirigir): usado para colocar o carro em movimento à frente. Nessa posição, o sistema administrará as marchas, que tradicionalmente são 4, mas que nos sistemas mais novos podem ser mais.
  • N (neutral, ponto morto): desliga o sistema de tração do carro, como se a embreagem estivesse acionada. Nessa posição as rodas ficarão livres.
  • R (reverse, marcha à ré): aqui, a marcha vai funcionar como nos câmbios manuais.
  • P (parking, estacionamento): aqui as rodas ficarão travadas. Essa posição é utilizada quando o condutor vai deixar o veículo.

Alguns carros vêm ainda com as posições 1 (ou “L”) e 2, que limitam a ação do câmbio até a marcha de referência.

Esqueça o seu pé esquerdo

Acostumados a pisar no pedal de embreagem dos carros manuais, muitos motoristas sofrem nos automáticos por pisarem acidentalmente no pedal de freio, que costuma ser maior nos automáticos.

Condutores desavisados podem mesmo pensar que, com dois pedais, o certo é usar os dois pés, mas acontece que o pé esquerdo está acostumado a exercer um tipo de pressão diferente no pedal de embreagem, o que pode fazer com que o ato de frear não saia como planejado ao tentar usá-lo nos freios.

Utilize a posição correta para ligar

Muitos carros automáticos, principalmente os mais antigos, exigem que se pise nos freios para acionar a ignição. Embora nem todos exijam esse procedimento, será sempre preciso que o câmbio esteja na posição “N“ ou “P”.

Também será preciso pisar no freio antes de mudar a posição do câmbio para “D” ou “R”.

Atenção ao engatar a ré

Ao engatar a marcha à ré, é preciso que o carro automático esteja completamente imobilizado, sob o risco de acontecerem avarias mais graves. A maioria dos sistemas conta ainda com um botão-trava, que não permitirá que se mude das posições “D” e “N” para “R” ou “P”, justamente para evitar que o motorista faça isso acidentalmente.

Em descidas longas, utilize as marchas reduzidas

A maioria dos sistemas de câmbio automático tende a soltar o carro para diminuir o RPM do motor. Assim, em declives, o carro automático vai tomar velocidade, tornando necessário acionar os freios, que podem ficar superaquecidos. Nesses casos, é interessante adotar as posições 2 ou até mesmo “L” para que o carro ande mais preso, exigindo menos interferência dos freios. Faça isso, preferencialmente, antes do declive, evitando forçar o sistema e superaquecer o óleo da caixa de marchas.

Se você pretende adquirir ou mesmo alugar um carro automático, deve ter em mente que, assim como todo sistema, o câmbio automático também precisa de cuidados na utilização. Você já teve experiências com esse tipo de veículo? Conte para a gente nos comentários!

Aluguel de carros Brasil

perigo-de-dirigir-com-sono

O perigo do sono ao volante: 4 dicas para evitar esse mal

Acidentes envolvendo carros, caminhões e motos acontecem pelas mais diferentes causas. Uma delas é dormir ao volante, responsável por grande parte dos acidentes no mundo. Muitas vezes, o motorista está com sono, mas acha que pode enfrentar o caminho sem maiores problemas, o que pode resultar em uma colisão, capotamento, entre outras tragédias.

Por ser incontrolável, o sono deve ser respeitado e algumas atitudes devem ser tomadas a fim de garantir a segurança do motorista, de seus passageiros e de todos os outros veículos que circulam pela pista. No texto de hoje, daremos algumas dicas importantes para evitar o sono ao volante. Confira!

Durma bem na noite anterior

É durante a noite, no sono, que o corpo repõe todas as energias e restaura as memórias mais importantes do dia. Se você não dorme o suficiente (entre 7 e 8 horas por noite), pode apresentar quadros de irritabilidade, desatenção e diminuição da coordenação motora, o que pode atrapalhar muito na hora de dirigir. Além disso, o sono não dormido pode aparecer em qualquer horário do dia, inclusive enquanto você está dirigindo.

Outra dica é não dirigir depois de muito tempo acordado. Segundo dados d02a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), após 19 horas acordado, o corpo humano reage da mesma forma que uma pessoa que ingeriu o equivalente a 6 copos de cerveja, ou está com 0,70 g/l de álcool no sangue.

Não tente barrar o sono usando bebidas com cafeína

Ao menor sinal de que os olhos podem se fechar a qualquer momento durante o seu percurso, a melhor solução é parar em um local seguro e dormir por alguns minutos, até que o corpo esteja revitalizado. É comum em muitas pessoas o hábito de parar em um posto, tomar um café ou um energético, lavar o rosto e retomar a viagem. Porém, essa não é uma boa solução, já que essas atitudes inibem o sono momentaneamente, mas não o eliminam.

Faça exercícios para acordar o corpo

Se já estiver com sono, como você já pôde ver, é melhor parar para descansar. Porém, antes de se sentir cansado, é importante mexer o corpo e realizar alguns alongamentos para se preparar para a maratona de estrada. Como dirigir é uma tarefa monótona, que não exige muito esforço físico, é preciso se espreguiçar e, quando parar, fazer pequenos alongamentos.

Procure um profissional quando achar necessário

Se você dorme a quantidade de horas estabelecida para uma boa noite de sono, e mesmo assim sente dificuldades para se manter acordado durante o dia, é hora de procurar ajuda profissional. Procure um médico para realizar exames e relate seu problema. Muitas pessoas com distúrbios como apneia do sono têm suas noites prejudicadas, pois a oxigenação do sangue não é feita com qualidade para o cérebro, tornando a noite de sono pouco restauradoras.

As dicas acima são essenciais para prevenir o sono ao volante e podem evitar inúmeros acidentes, muitos deles fatais. Preocupar-se com sua segurança e a de seus passageiros, assim como a das pessoas dos outros veículos é um ato de responsabilidade e consciência ao volante. Faça sua parte!

Você já sentiu muito sono ao dirigir? Qual foi sua atitude? Conte para nós, escreva seu comentário abaixo!

Aluguel de carros Brasil

dirigir-com-porta-malas-cheio

4 dicas de segurança para dirigir com o porta-malas cheio

Viajar com a família ou os amigos é sempre uma maravilha. Porém, nem sempre é fácil acomodar no carro as malas e apetrechos que cada um faz questão de levar. O resultado? O carro fica com o porta-malas lotado e, muitas vezes, ainda sobram bolsas, mochilas ou travesseiros para quem vai no banco de trás.

Dirigir nessas condições requer uma atenção especial. Por isso, confira as dicas que preparamos para você dirigir com segurança com o porta-malas cheio!

Pneus calibrados

Se você já leu o manual do seu carro ou tem o hábito de conferir a pressão correta dos pneus sempre que vai calibrar, já deve ter notado que o fabricante costuma indicar no manual do proprietário dois níveis de calibragem: um para o carro cheio e outro para o carro vazio

A calibragem deve ser feita sempre com o pneu frio, logo ao sair de casa, pois quando o carro já está rodando a temperatura da carroceria aumenta e, com isso, o ar se expande e causa um aumento de pressão que prejudica a calibragem correta.

Peso pesado

Quando o carro está rodando com o porta-malas cheio, o seu potencial de aceleração, frenagem e até contorno de curvas é bastante reduzido. Por isso, a atenção deve ser redobrada. Evite manobras bruscas, tenha mais cautela ao entrar em curvas perigosas ou fechadas e só ultrapasse quando houver espaço suficiente para fazer a manobra com segurança.

Outra dica é ficar atento ao superaquecimento nos freios; quando isso acontece, o pedal fica mais mole e cada vez mais fundo. Nesse caso, pare o carro em um local seguro por alguns minutos para resfriar e substitua o fluido de freio assim que for possível.

Bagagem solta

Quem viaja sempre com o porta-malas cheio já se acostumou a colocar bagagem dentro do carro. Seja sob o tampo do porta-malas, no banco de trás ou até embaixo dos bancos, o que não falta é criatividade na hora de fazer caber a bagagem da família inteira. Porém, esses objetos que ficam soltos dentro do veículo podem se tornar extremamente perigosos em caso de acidentes, pois a inércia multiplica o peso desses itens e eles oferecem risco aos ocupantes do veículo.

A atenção deve ser redobrada com objetos no painel ou nas portas da frente. Isso porque algo pequeno como uma caixa de óculos, um telefone celular ou uma garrafa de água pode sair do lugar durante uma manobra e ir parar aos pés do motorista, dificultando ou impedindo o acesso aos pedais, o que representa um grande risco de acidente.

Visibilidade

Já dissemos que, com o carro lotado e pesado, a direção deve ser mais cuidadosa e a atenção, redobrada. Afinal, a resposta será mais lenta na aceleração e na frenagem. Por isso, é fundamental preservar a visibilidade do motorista e não lotar a tampa do porta-malas de bagagem para que o retrovisor interno possa ser usado corretamente.

Na hora de carregar o veículo, deixe sempre as malas mais pesadas no meio do porta-malas para distribuir melhor o peso sobre os eixos e não sobrecarregar nenhum dos lados. Se o seu bagageiro vive sempre cheio mesmo nas viagens mais breves, talvez seja a hora de investir em um carro maior oualugar um veículo mais espaçoso para tornar as viagens mais seguras.

Gostou dessas dicas? Tem outras sugestões para otimizar a distribuição da bagagem no carro? Deixe um comentário!

dirigindo-na-lama

Aprenda a dirigir um carro na lama e evite sustos!

Viajar de carro pode ser muito prazeroso, principalmente levando em consideração as maravilhas que nosso país oferece. Porém, muitos desses lugares só são acessíveis por caminhos difíceis, que exigem habilidades de direção que não são utilizadas no dia a dia urbano.

Nosso post de hoje é tanto para quem tem espírito aventureiro e gosta de estradas de terra quanto para quem é mais urbano e quer se prevenir para não ser pego de surpresa com o carro na lama, quando for visitar cachoeiras, vilarejos e fazendas. Aprenda como dirigir nessas situações e não passe sustos!

Escolha um veículo apropriado

O comportamento do carro na lama é completamente diferente, principalmente em consequência da perda de tração no solo escorregadio. Outro risco que se corre e que pode acabar com a viagem é o de atolamento.

Então, se a viagem for planejada e você souber que vai enfrentar trechos lamacentos, faça o possível para realizá-la com um veículo apropriado. Existem 2 características que são desejáveis nessas situações, e são encontradas em veículos como picapes e SUVs:

Altura do veículo

Em estradas de lama, o principal fator de atolamento são os sulcos formados pelas rodas dos carros, que acumulam água e podem ceder com o peso do carro. Se o fundo do veículo raspar na parte mais alta, entre os sulcos, dificilmente os pneus vão conseguir tracionar.

Com um carro mais alto, mesmo que não dê para fugir dos sulcos, será mais difícil que o fundo raspe nas partes altas, permitindo que se permaneça sempre em movimento.

Veículo com tração 4×4

Para casos mais complicados, com a estrada tomada por lama escorregadia e principalmente em subidas, a tração 4×4 é de extrema ajuda, pois mantém todas as rodas atuando. Se uma das rodas escorregar e deixar de tracionar, as outras compensarão a falta de tração. Você não tem um carro com essas características? Não se preocupe, pois é possível alugar um!

Adote uma direção específica para o carro na lama

Independentemente de estar com um veículo apropriado para isso ou com um carro básico, é importante adotar algumas posturas de direção para seguir a viagem com o carro na lama de maneira segura e eficaz.

Antes de tudo, dirija devagar, pois a lama é escorregadia e, por isso, diminui a estabilidade e capacidade de frenagem do carro. Além disso, controle o acelerador suavemente, pois, ao acelerar bruscamente, as rodas podem girar em falso e o carro perderá a tração, ou aumentará o sulco caso estiver atolado, piorando ainda mais a situação.

Se o seu carro tem tração traseira, aumentar o peso da parte traseira pode ajudar a manter a estabilidade. Tente também manter os pneus sempre nas partes mais altas da estrada. Como mencionamos acima, os sulcos podem se tornar armadilhas por acumularem mais água e ficarem ainda mais instáveis e escorregadios.

Já se precisar parar o carro, utilize a técnica da frenagem cadenciada. Para isso, basta pressionar o pedal suavemente e soltá-lo, repetindo a operação o quanto for necessário. Frear bruscamente pode causar derrapagens pela perda de tração.

Se o carro começar a deslizar, pise levemente nos freios. Caso você não consiga parar, tente virar o volante na mesma direção e acelerar suavemente, a fim de retomar a tração.

Saiba como sair de um atolamento

Caso ocorra atolamento, a primeira coisa a se fazer é manter a calma, sair do carro e avaliar a situação.

Identifique a roda que está atolada (ou seja, girando em falso) e coloque abaixo dela pedras e pedaços de madeira, para que a roda tracione sobre esses materiais. Se possível, calce as outras rodas e faça uma trilha de material sobre a lama, que leve até uma parte mais estável da estrada.

Assim que as rodas estiverem calçadas, tente dirigir para a frente lentamente. Se preciso, alterne entre a primeira marcha e a marcha à ré, procurando a direção que ofereça a melhor tração. Diminuir a pressão nos pneus também aumenta a área de atrito com o solo e ajuda a melhorar a tração do carro na lama, mas só faça isso se tiver algum meio para enchê-los novamente.

Ficar atolado em uma estrada lamacenta pode acabar com o passeio de qualquer um, mas com essas dicas você estará preparado para enfrentar essas situações e continuar curtindo a viagem. Você já enfrentou dificuldades com o carro na lama? Conte pra gente nos comentários!

Aluguel de carros Brasil

ar condicionado carro

4 mitos do ar condicionado automotivo que todo motorista deve conhecer

Com os verões cada vez mais quentes e um mercado consumidor mais exigente, o ar condicionado automotivo já deixou de ser um luxo e é oferecido como item de fábrica ou opcional em praticamente todos os veículos à venda no Brasil.

Porém, apesar de ter se tornado mais popular e cada vez mais presente nos veículos brasileiros, ele ainda é cercado de mitos e dúvidas. Nesse post, vamos desmistificar alguns dos principais mitos associados ao uso do ar condicionado. Confira!

Com o tempo, o ar condicionado automotivo perde o gás

O gás do sistema de ar condicionado é um dos principais alvos de mitos. Há quem deixe de ligar o ar condicionado para evitar que o gás fique “gasto” e acabe, ou mesmo quem acredite que o gás fica velho com o tempo. Isso não é verdade.

Se estiver tudo certo com a manutenção do carro, o gás do ar condicionado não vai vazar: isso só acontece em caso de defeito. O mesmo vale para o mito de que o gás do ar condicionado envelhece. Com a manutenção correta, ele deverá funcionar perfeitamente durante toda a vida útil do seu veículo.

O consumo aumenta pela metade com o ar condicionado ligado

Outro mito comum é o de que o ar ligado faz com que o carro consuma muito mais combustível. Embora seja verdade que o uso do ar condicionado tenha impacto no consumo do veículo, a queda no rendimento está longe de ser tão drástica: com o ar ligado, o carro consome cerca de 10% a 20% a mais na cidade. Muito longe dos 50% que algumas pessoas acreditam.

Na estrada, o gasto a mais é compensado: andar com os vidros abertos a mais de 80 km/h interfere na aerodinâmica do carro e faz com que o consumo de combustível aumente. Além de ser mais confortável viajar com o ar condicionado ligado, você acaba gastando menos do que rodando com os vidros abertos.

Não usar o ar condicionado preserva o sistema

Esse mito está relacionado ao primeiro: muitas pessoas evitam usar o ar condicionado automotivo para não “gastar”. Além de não ser verdade, essa prática também é equivocada e pode até mesmo prejudicar o sistema.

Para que o ar condicionado funcione adequadamente, ele deve ser utilizado pelo menos uma vez na semana por no mínimo 10 minutos para fazer circular o gás e o óleo no sistema, o que garante a lubrificação e evita o ressecamento das peças.

Mais velocidade deixa o carro mais gelado

Esse é um mito recente, que vem junto dos novos sistemas de ar condicionado digitais. Na verdade, a velocidade (ou potência) do ar condicionado só interfere no tempo que o veículo vai levar para chegar à temperatura desejada.

Você pode até aumentar a velocidade no início para que o carro esfrie mais rápido, mas o sistema de ar condicionado é capaz de atingir a temperatura desejada mesmo nas velocidades mais baixas.

Gostou de saber mais sobre os mitos do ar condicionado automotivo? Esse equipamento veio para trazer mais conforto ao dirigir e deve ser usado sem medo. Afinal, nada mais estressante do que sentir calor no trânsito, concorda? Se você tem outras dicas ou conhece outros mitos sobre o uso do ar condicionado no carro, deixe um comentário!

Aluguel de carros Brasil

vantagens-de-alugar-carro

As melhores vantagens de alugar carro

aluguel de carros

 

Cada dia mais comum, o aluguel de carros é uma possibilidade não apenas para quem quer viajar, mas para quem precisa de um carro reserva ou quer fugir do rodízio. Com preços acessíveis, modelos ideais para qualquer ocasião que você precise, além de ser muito mais econômico do que manter um carro próprio, são diversos os benefícios. E para te ajudar a conhecer todas as vantagens de alugar carro, preparamos este post especial com os principais motivos para você passar a utilizar a alternativa desse tipo de transporte no seu dia a dia. Acompanhe!

Vai viajar? Confira todas as vantagens de alugar carro

Uma das principais motivações para alguém alugar um carro está na sua praticidade proporcionada durante viagens. Além de todo o conforto de não depender de táxis ou caronas nas cidades de destino, você ainda conta com a segurança de pegar estrada com um veículo com toda a revisão em dia e conforto por ter mais autonomia na viagem. Essa alternativa é ideal até para quem já possui carro, mas ele não está em boas condições para pegar estrada ou não está protegido por algum seguro.

Outra vantagem do aluguel de carros para viagens é a economia, especialmente se está com amigos. O preço das diárias costuma sair mais em conta que a soma dos valores das passagens de todos os seus acompanhantes, e ninguém precisa correr para não perder o ônibus ou o voo.

Quer economizar com táxis? Alugue um carro

Em viagens de negócios ou mesmo com a família, alugar um carro é uma alternativa muito mais viável que depender de táxis. Não apenas pelo conforto e independência, mas as vantagens também são financeiras. O valor da diária, com seguro e combustível, costuma ser mais barato que o acumulado nas corridas feitas com taxistas.

Um carro reserva enquanto o seu está na oficina

É muito ruim ficar a pé enquanto seu carro está na oficina, certo? Para evitar este tipo de dor de cabeça, muita gente aluga um carro para utilização enquanto o seu está em manutenção ou reparo. Por mais que muitas vezes a diária não represente necessariamente uma economia, o aluguel de carros nessas situações é a solução ideal para quem não pode ficar sem veículo ou não quer utilizar o transporte público.

Ocasiões especiais merecem um carro especial

Alugar um carro de luxo em ocasiões especiais tem se tornado uma prática bastante comum, e é uma solução inteligente e econômica para quem quer impressionar seus clientes em um passeio pela cidade, chegar com estilo no próprio casamento ou até surpreender a namorada durante um jantar especial.

Está de olho em um novo carro? Experimente antes de decidir

Muitas vezes, fazer o test drive das concessionárias não é suficiente para conhecer bem o carro que você está de olho. Afinal, além de você passar apenas alguns minutos com o carro, ainda tem um vendedor ao seu lado falando somente das coisas boas. O ideal mesmo seria poder passar mais tempo com o veículo, certo? É por isso que alugar o modelo de carro que você está de olho pode ser fundamental para fazer a escolha correta.

Afinal, ao passar alguns dias com o modelo que você pretende comprar, é possível verificar se o carro é compatível com as garagens que você utiliza em casa e no trabalho, se ele é realmente confortável e entrega tudo que promete e qual o consumo real de combustível utilizado. Alugando um carro para esse “test drive prolongado” você consegue decidir com muito mais propriedade e evita todo tipo de arrependimento.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre as vantagens de alugar carro, conte para a gente nos comentários quais são os motivos que você acha mais importante pra escolher o aluguel. Aproveite e leia também o nosso post com 5 dicas de segurança para você e seu carro.

E alugue um carro com quem entende do assunto! A Rede Brasil tem mais de 20 anos de mercado e muita experiência pra fazer suas viagens serem incríveis e sem dores de cabeça. Faça um orçamento personalizado de aluguel de carro!

aluguel de carros brasil

aluguel de carro

5 dicas de segurança para você e seu carro.

As ruas têm ficado cada vez mais perigosas para os motoristas. Todos os dias assaltantes vêm com novas ideias para roubar carros e algumas “estratégias” já são bem comuns, como simular pequenas batidas, atirar pedras no pára-brisa, se passar por vendedor ambulante, além do foco que existe nas mulheres sozinhas e idosos.

É por causa dessa criatividade que os motoristas precisam também ter novas ideias e correr atrás de formas de se prevenir. Confira essas 5 dicas que podem te ajudar (e muito) a se livrar da insegurança e do pesadelo que é ficar sem carro. Apesar de não garantirem 100% a segurança do seu veículo, buscar proteção e prever os riscos podem te salvar.

1. Sinal vermelho 

Busque sempre estar na faixa da direita, pois a abordagem é bem mais difícil e mantenha sempre uma distância razoável do veículo que está na sua frente. Caso esteja meio desconfiado e viu algum movimento suspeito, permaneça o mais próximo possível do carro ao lado, para que fique mais difícil o o assaltante chegar à sua janela. Uma outra dica interessante é frear quando observar que o sinal está fechando para não ter que parar completamente o carro.

2. Ao estacionar

Mesmo que os estacionamentos particulares sejam mais caros, vale mais a pena arcar com poucos reais a mais do que passar pela dor de cabeça que é ficar sem carro. Caso não tenha outro jeito a não ser parar o automóvel na rua, procure os lugares mais movimentados e iluminados. Não fique dentro do veículo enquanto ele estiver parado e, se possível, seja breve ao chegar e partir.

3. Dirigindo

Caso tenha alguma desconfiança de que está sendo seguido, não espere, mude sua rota para um lugar bem mais movimentada e onde tenha algum policial. Se estiver indo para casa, dê mais algumas voltas e não pare se observar que tem algum estranho na rua, ou algo que pareça suspeito. Se está com dúvida, tenha certeza de que você precisa se prevenir.

4. Objetos dentro do carro

Essa é bem básica mas pode te livrar de chamar a atenção. É claro que os assaltantes não roubam o veículo pensando só no que tem dentro dele. Mas em meio a centenas de carros, se o seu tiver algo que os interesse ainda mais, é claro que você será escolhido. Esconda bem os objetos de valor e guarde o que puder dentro do porta-malas.

5. Nada de ostentar

Usar marcas renomadas, estudar nas melhores faculdades, frequentar os lugares mais caros, tudo isso é questão de escolha. Mas atente-se: não chame a atenção para isso. Evite colocar adesivos que atestem seu estilo de vida. Se constatarem que você tem muitos bens, será um alvo mais visado.

Gostou das dicas? O importante é sempre ficar atento e não se desligar!

Tá sem carro? Aluguel de carro é aqui na Rede Brasil.

 

ALUGUEL-DE-CARRO-GASOLINA

10 hábitos do motorista que fazem o carro ‘beber’ mais

1) Esquecer das velas do motor
As velas fazem o mesmo papel do acendedor do fogão. Quem já não passou pela experiência de ficar apertando aquele botão e nada do fogo acender? E o cheiro de gás que fica dentro da cozinha?

Com as velas do motor acontece o mesmo: elas são responsáveis pela combustão da mistura ar-combustível que acontece dentro do motor.

velas do motor (Foto: Denis Marum/G1)
Veja nova (à esq) e vela ‘vencida’
(Foto: Denis Marum/G1)

Quando a faísca (arco voltaico que possui uma tensão de 20 mil a 30 mil volts) está fraca, parte do combustível não é queimada e acaba sendo expelida pelo escapamento.

Alguns problemas podem diminuir a vida útil das velas, como o desgaste interno do motor ou a correia dentada fora de ponto, mas o mais comum é a má qualidade do combustível.

Na grande maioria dos veículos, as velas devem ser substituídas a cada 20.000 km. No momento da troca, aproveite para verificar os cabos de velas. Consulte o manual do proprietário, para saber a especificação e o prazo recomendado para substituição.

 

2) Rodar com o carro desalinhado

carrinho do supermercado (Foto: Denis Marum/G1)
Quem faz supermercado já viu este filme: o carrinho de compras “desajeitado, que está com as rodinhas tortas e faz você sentir no braço o esforço extra. Com seu carro acontece o mesmo: quando as rodas estão desalinhadas, o consumo aumenta muito devido ao esforço extra do motor, sem falar no pneu que acaba mais cedo.

Este problema ocorre quando você pega muitos buracos ou encosta as rodas na guia durante as manobras. Você percebe que as rodas estão desalinhadas quando o volante puxa para um dos lados.

Se o carro possui direção hidráulica, este sintoma fica menos perceptível. Por isso, é essencial  fazer a verificação do alinhamento da suspensão a cada 10.000 km.

 

3) Rodar com pneu murcho
Outro dia observava um posto de gasolina: ele possuía cinco bombas de abastecimento e apenas um calibrador de pneus. Este fato demonstra que, infelizmente, não temos o costume de calibrar os pneus. Porém, o consumo de combustível aumenta 15% para 4 libras a menos de pressão. Manter os pneus com a pressão correta, além de economizar combustível, prolonga a vida útil dos pneus e exige menos da suspensão e da direção.

 

4) Deixar de trocar filtros
Filtro de ar sujo impede a entrada de ar, assim, parte do combustível não será queimada devido à falta de oxigênio na mistura. O mesmo acontece com o filtro de combustível: quando entupido, ele também altera a relação ar-combustível, conhecida pelos técnicos como relação estequiométrica.

Os filtros têm um custo baixo e devem ser substituídos a cada 10.000 km. Se você pega estrada de terra com frequência, é bom verificar o filtro de ar a cada 5.000 km.

 

5) Fazer do porta-malas uma dispensa
Muita gente faz do porta-malas do carro um “quartinho da bagunça”, transportando peso desnecessário e, consequentemente, fazendo o carro consumir mais combustível.

Outros motoristas, quando vão viajar, esquecem que no destino também tem supermercado e lotam o carro com engradados de bebidas, mantimentos, enfim, vários itens que poderiam ser adquiridos na cidade de destino.

Dar carona é uma atitude louvável, desde que seja para deixar outros carros na garagem, pois três pessoas a mais representam, em média, 200 kg de peso extra, gerando um aumento de até 20% no consumo.

 

6) Usar ‘penduricalhos’ no carro
As montadoras investem muito dinheiro para reduzir o coeficiente de aerodinâmica ou coeficiente de penetração (o Cx), que é um numero que indica o quanto a carroceria do seu carro oferece de resistência ao vento.

Alguns acessórios/bagagens que no teto dos veículos devem ser evitados:  racks, bagageiros, pranchas, bicicletas. Eles aumentam a resistência do carro ao vento. Isso também acontece quando deixamos os vidros abertos. Para ter uma ideia do que representa a resistência ao vento, experimente colocar a mão para fora da janela a 80km/h.

Nas picapes, o ideal é instalar uma capota marítima nas caçambas. Quando descobertas, elas também prejudicam o desempenho.

 

7) Ter ‘pé pesado’
Se você fica ansioso pela luz verde no semáforo e se sente um piloto a instantes da largada, trate de mudar de personagem se quiser economizar combustível. Faça como a maioria dos taxistas: não dê arrancadas bruscas. Quando for sair com o carro, imagine que tem um aquário (com água) preso no teto do veículo e vá com calma para não “derrubá-lo”.

Não estique as marchas: uma das funções do conta-giros do painel é dar subsídio ao motorista para conseguir a maior velocidade com a menor rotação do motor.

Outro indicador de que se está gastando muito combustível é quando as pessoas reclamam que ficam enjoadas ao andar com você ao volante. Isto acontece quando o motorista acelera e freia constantemente. Administrar o trânsito à frente é uma boa maneira de economizar: quanto menos você tiver que pisar no freio e usar a primeira marcha, menos combustível gastará.

Para fechar o assunto dos “pés pesados”, quem possui carro automático deve procurar fazer com que ele mude a marcha com o aumento da velocidade e, não com o aumento da rotação do motor. Como? Ao sair, aperte o acelerador até a metade do curso e mantenha-o nesta posição: você perceberá que o veículo ganhará velocidade e trocará as marchas sem que precise pressionar mais o pedal do acelerador.

 

8) Ignorar a luz da injeção acesa

luz de injeção (Foto: Denis Marum/G1)

Luz de injeção acesa: sinal de alerta
(Foto: Denis Marum/G1)

Se a luz da injeção acender no painel, corra para o mecânico, pois o sistema de injeção entrou em estado de emergência, ele detectou pane de algum sensor.

Para que o motor não apague no meio do trânsito, o módulo da injeção utilizará um valor médio de sua memória  para substituir a informação do sensor danificado, permitindo que você siga viagem. Porém, este recurso acaba gerando alto consumo de combustível.

 

9) Escolher caminhos com mais curvas e semáforos
Experimente empurrar seu carro com o volante reto, depois faça o mesmo com o volante todo esterçado. No segundo caso, o esforço será muito maior. Se você não mora em cidades grandes e tem a opção de escolher, evite caminhos com muitos semáforos, curvas e trânsito: nem sempre o caminho mais curto é o mais econômico.

Também não precisa passar calor, mas tem gente que anda sempre com o ar-condicionado do ligado: este acessório consome em media 15% a mais de combustível, use com moderação.

 

10) Usar combustível de má qualidade e ‘confundir’ o carro flex
Para economizar ao máximo, evite dividir o tanque entre etanol e gasolina: utilize um ou outro. Quando você mistura, o sistema de injeção perde um tempo para definir a relação ar-combustível ideal e, nesse intervalo, o consumo acaba aumentando. Prefira esperar o ponteiro chegar à reserva e encha o tanque com um deles.

No entanto, ainda que você siga todas dicas anteriores, a má qualidade do combustível poderá resultar em até 30% a mais de consumo.

densímetro na bomba do posto de gasolina (Foto: Denis Marum/G1)
Densímetro na bomba de etanol
(Foto: Denis Marum/G1)

Se você utiliza etanol, dê preferência para postos que possuam o densímetro ao lado da bomba. Se prefere gasolina, a tarefa é mais difícil: não podemos generalizar, mas via de regra, a gasolina de má qualidade já é percebida na saída do posto. O motor fica com pouca potência, dá a impressão de que o pedal do acelerador fica “borrachudo”…

O mau cheiro nos gases do escapamento é outro indicador. Porém, não prejulgue o posto de combustível: o mau cheiro no escapamento pode ser um problema no catalisador.

Os equipamentos que fazem análise de combustíveis são caríssimos. Meus colegas engenheiros que me desculpem, mas aqui vai uma dica prática: na década de 70, quando íamos com nossos pais abastecer o carro, o cheiro da gasolina era muito forte, as pessoas que estavam dentro do carro ficavam nauseadas… A gasolina boa tem cheiro forte. Então, se você entrar em um posto de combustíveis e notar que o cheiro é forte o suficiente para incomodar, pode encher o tanque.